Plataformas de Serviços Tecnológicos e de Inovação

 

 

As Plataformas de Serviços Tecnológicos e de Inovação são ações que possuem interações híbridas com o setor produtivo, tendo participação majoritária de pesquisadores da UnB. Essas plataformas envolvem pesquisa, extensão, formação continuada e desenvolvimento de produtos e processos. As Plataformas de Serviços Tecnológicos e de Inovação são financiadas por órgãos de fomento, emendas parlamentares, ou convênios e contratos com empresas privadas.

 

 

 

 

PICAPS

 

 

 

A PICAPS (Plataforma de Inteligência Cooperativa com Atenção Primária à Saúde) é uma iniciativa da Universidade de Brasília (UnB) e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) Brasília. A plataforma congrega os esforços de cerca de 300 pessoas das duas instituições, entre docentes, técnicos, pesquisadores, estudantes e residentes. A PICAPS tem sua atuação voltada para o acesso de informações de inteligência para os profissionais de saúde que atuam na atenção primária, com base em dados sobre o fluxo de pessoas e dos grupos mais vulneráveis à Covid-19.

 


 

 

PISAC

 

Tel: 61 3107-7484

Site: www.pisac.unb.br

 

O PISAC (Parque de Inovação e Sustentabilidade do Ambiente Construído) é uma iniciativa do Laboratório do Ambiente Construído, Inclusão e Sustentabilidade (FAU/CDS/UnB). É um centro de referência em tecnologias sustentáveis que trabalha em rede, como catalizador de capacidades técnicas consolidadas no país e internacionalmente, visando à pesquisa e desenvolvimento com foco no ambiente construído. Cinco áreas de atuação foram definidas para o PISAC: praça de protótipos; formação e capacitação; Universidade BIM; pesquisa; consultoria e prestação de serviços.

 


 

 

O C-BIOTECH (Centro de Biotecnologia Molecular) é uma iniciativa do Laboratório de Biologia Molecular (IB/UnB). Visa promover parcerias universidade-empresa e fornecer infraestrutura laboratorial para incubação de empresas start-up em biotecnologia, além de apoiar atividade de ensino e extensão. O C-BIOTECH desenvolve projetos dentro das seguintes áreas: produção de biofármacos e vacinas; produção de antígenos e enzimas para kits de diagnóstico de doenças; produção de enzimas industriais; produção de linhagens de microrganismos para conversão de biomassa; genômica aplicada.